Saúde descarta febre amarela como causa da morte de rapaz

Não foi febre amarela a causa da morte do morador de Volta Redonda, Leandro Silva de Rezende, 33, que morreu há uma semana na Cidade do Aço, após uma estadia em Paraty nos primeiros dias do ano. Segundo informações apuradas pelo Tribuna Livre junto a fontes da Saúde do Estado do Rio de Janeiro, exames não indicaram sinais do vírus da febre amarela no corpo do rapaz. Leandro foi atendido no Hospital Pedro Alcântara, em Paraty, no dia 10 de janeiro. Ele apresentava um quadro de amigdalite, com dores na garganta, febre e dificuldade para ingerir alimentos. Foi medicado no próprio hospital e liberado. Ele morreu em Volta Redonda três dias depois.

A secretaria de Saúde de Volta Redonda foi quem pediu ao Laboratório Central Noel Nutells, no Rio de Janeiro, que investigasse a causa da morte e avaliasse a suspeita, não apenas sobre a febre amarela, como para outras doenças transmitidas por mosquitos como a dengue, a zika e a chikungunya. Nenhum traço de vírus destas doenças foi identificado nos órgãos do paciente. Agora o organismo estadual deve continuar investigando outras causas para o falecimento do jovem.

Em toda a Costa Verde fluminense prosseguem as campanhas de vacinação contra a febre amarela. Em Angra, até esta sexta-feira, 19, mais de 16 mil pessoas ja haviam sido imunizadas e em Paraty, onde a campanha de vacinação começou em junho do ano passado, o número de vacinados já é superior a 26 mil pessoas, quase 70% da população. A meta em Paraty é vacinar cerca de 40 mil moradores. Visitantes que estiverem na cidade também estão recebendo a vacina nos postos de atendimento da cidade.

Foto: Reprodução

Siga-nos no Facebook

GOSTOU DESTE TEXTO?

Assine o jornal Tribuna Livre e receba em casa a nossa edição impressa. Clique aqui e saiba como.