Após décadas de espera, chega energia elétrica à Ponta Negra

A comunidade costeira da Ponta Negra, em Paraty, receberá energia elétrica a partir deste sábado, 9, depois de mais de 200 anos de espera. Por mais incrível que pareça, até hoje a localidade onde vivem cerca de 400 pessoas não tinha luz e vivia a base de geradores. As obras de eletrificação foram possíveis pelo empenho da prefeitura de Paraty, em parceria com o governo federal e a concessionária Enel, por meio do programa Luz para Todos, criado em 2003. Na verdade esta é praticamente a última obra do Luz Para Todos no Estado, já que o projeto foi extinto. Só nesta extensão de rede foram investidos cerca de R$ 3,2 milhões.

— Esperamos pela luz há décadas. Lembro do meu avô falando que nunca chegaria aqui. O caiçara tem o mesmo direito que todo mundo a tomar um banho quente — diz o líderes comunitário Cauê, que acompanhou a obra por quase oito meses.

A chegada da energia elétrica na comunidade traz uma verdadeira revolução, com impacto no dia a dia em atividades comuns como lavar roupas, por exemplo, até ganhos econômicos para a vila de pescadores, que poderá aumentar a sobrevida do produto da pesca e vender por preços mais altos. Para que a rede fosse instalada, a concessionária Enel construiu uma rede de distribuição de média tensão que interliga a praia do Sono até a Ponta Negra, passando pela trilha das praias dos Antigos e Antiguinhos. Ao todo, foram instalados 192 postes de fibra, 15 transformadores de distribuição e cerca de oito quilômetros de cabo elétrico isolado de média e baixa tensão, para não causar danos à fauna local. Toda rede de distribuição possui cabos de aço para sustentação, evitando desligamentos causados pela queda de galhos.

A linha que abastecerá a Ponta Negra inicia na praia do Sono. Toda a eletrificação da região costeira de Paraty beneficiou mais de 2 mil pessoas, instalando 40km de rede e quase 1.300 postes, beneficiando também localidades como Ponta Grossa, Saco do Mamanguá, Cajaíba, Calhaus e Cajaíba .

— É um sonho realizado. O Programa Luz para Todos já tinha sido encerrado, mas conseguimos sensibilizar o Governo Federal e estender o prazo para Paraty, tirando do escuro centenas de famílias que vivem na Região Costeira. Quando a gente chegava para conversar com os diretores da Eletrobrás e os representantes do Governo Federal ninguém acreditava que em Paraty, em pleno século 21, ainda havia tantas famílias sem luz — comemora o prefeito da cidade, Casé Miranda (PMDB).

O vice-prefeito Luciano Vidal (PMDB) é outro que comemora. Ele lembra que nas primeiras comunidades a receberem a energia, a satisfação dos moradores era contar que, a partir daquele momento poderiam ouvir o mar sem o ronco dos geradores, ou assistir a um programa de TV. A eletrificação também favorece os mais jovens que, com acesso a mais bens de consumo, resistem ao desejo de deixar seus locais de origem.

— A energia é um direito básico, assim como a saúde e a educação. É incrível que tantos anos se passaram sem que ninguém conseguisse resolver o drama destas comunidades. Estamos muito felizes e certamente a comunidade também — disse Vidal.

A entrega das obras no sábado, 9, terá uma manhã de atividades culturais e almoço.

Foto: Reprodução

Siga-nos no Facebook

Publicado antes na edição 199 do jornal Tribuna Livre.

GOSTOU DESTE TEXTO?

Assine o jornal Tribuna Livre e receba em casa a nossa edição impressa. Clique aqui e saiba como.