Angra dos Reis tem mais quatro casos suspeitos de febre amarela

A secretaria de Saúde de Angra dos Reis ainda aguarda a confirmação de pelo menos outros quatro casos suspeitos de febre amarela na cidade, todos oriundos da Ilha Grande. Nesta sexta-feira, 2, à noite, o município teve confirmada a primeira morte por causa da doença na cidade. A vítima é Wosley Ferreira da Silva, 38, que residia na praia do Provetá, na Ilha Grande e visitou, dias antes, a Praia da Longa. Ele chegou a ser atendido no Hospital Geral da Japuíba (HGJ) mas não resistiu. Neste sábado, 3, pela manhã, a prefeitura de Angra confirmou esta morte e emitiu uma recomendação expressa para que a população e os turistas que ainda não tenham sido imunizados, evitem a Ilha Grande e locais com matas e cachoeiras. Até o momento, o vírus foi confirmado como circulante apenas na Ilha Grande, onde um macaco também morreu vítima da doença exatamente na Praia da Longa.

Segundo profissionais de Saúde ouvidos pelo Tribuna Livre, os outros casos, possivelmente de febre amarela mas ainda sob investigação, são todos de praias próximas ao Provetá como a própria Longa e o Sítio Forte. Outro caso suspeito seria da Praia Vermelha, também na Ilha Grande. Há poucos dias um morador da Sapinhatuba, no continente de Angra, teria sido diagnosticado com a doença, mas ele também esteve na Praia da Longa. Este homem chegou a ser mandado de volta para casa e depois retornou e estaria internado no HGJ. Outro paciente foi transferido para o Hospital dos Servidores do Estado (HSE), no Rio de Janeiro. A confirmação ou não destes outros casos deve acontecer nos próximos dias.

— Provavelmente todos estes casos serão confirmados — previu esta fonte.

Ilha Grande — Em virtude da confirmação da morte, a prefeitura de Angra montou uma operação de reforço na vacinação na Ilha Grande e aumentará também a mobilização para imunização no continente. É que agora até mesmo aqueles grupos antes considerados ‘restritos’ para vacinação, estão obrigados a serem vacinados. É o caso dos idosos com mais de 60 anos que agora não precisam mais de laudo médico. Uma Nota Técnica emitida pela secretaria municipal de Saúde de Angra recomenda a vacinação ‘de toda a população a partir dos 9 meses de idade, inclusive gestantes, idosos e nutrizes, ressalvadas as contraindicações absolutas’, que são basicamente as gestantes, pessoas com alergia a componentes da vacina e a ovo, transplantados e pessoas com doenças autoimunes ou neurológicas.

A prefeitura de Angra pretende avaliar a situação neste final de semana antes de recomendar, talvez, uma restrição absoluta à entrada na Ilha Grande. O próprio secretário de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, Luiz Antônio de Souza, é aguardado na Ilha Grande para checar pessoalmente as ações do município. A partir de hoje, pelo menos dois agentes de saúde estarão nos principais cais de desembarque e embarque na Ilha para abordar aos visitantes com informações sobre a febre amarela e aplicar eventualmente a vacina. Mas é importante destacar que a imunização só tem efeito após 10 dias de aplicada. Em tese, a pessoa imunizada com a vacina pode contrair a doença neste intervalo.

Os postos e campanhas de vacinação em Angra dos Reis e na Ilha Grande, inclusive no final de semana, estão disponíveis no site da prefeitura de Angra.

Siga-nos no Facebook e acompanhe as notícias de Angra dos Reis e Paraty.

GOSTOU DESTE TEXTO?

Assine o jornal Tribuna Livre e receba em casa a nossa edição impressa. Clique aqui e saiba como.