Prefeito de Angra pede apoio federal e promete ajuda às polícias contra a violência

Após quase duas semanas de muita violência e insegurança em Angra dos Reis por causa da movimentação atípica de marginais e facções criminosas pela cidade, a prefeitura de Angra divulgou nota nesta sexta-feira, 9, para tentar tranquilizar a população. A esperança do governo municipal é de que, a partir de agora, a cidade comece a virar o jogo. Na quinta-feira, 8, o prefeito angrense, Fernando Jordão (MDB), conseguiu entregar ao próprio presidente da República, Michel Temer (MDB) (foto), e ao ministro de Estado do Gabinete da Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, um pedido oficial de ajuda. Tropas federais e das polícias especiais do Estado já estariam a caminho da cidade para ações ainda durante o período de Carnaval. Uma das razões para que tropas federais atuem na cidade seria a presença de duas usinas nucleares em operação.

— Esta situação não pode continuar. Angra dos Reis é uma cidade pacífica e por isso criminosos acuados nas capitais acabaram migrando para cá. O presidente da República e o general Etchegoyen sinalizaram que irão enviar ajuda e a paz será restabelecida — acredita o prefeito.

Durante a década de 70, quando o país era governado por militares, Angra dos Reis chegou a ser considerada como área de segurança nacional. Nos últimos anos, porém, esta segurança vem sendo constantemente ameaçada pela ação de grupos armados e até milicianos que escolheram Angra e as demais cidades da Costa Verde como território para ação.

Nesta sexta-feira, 9, pela manhã, Fernando e os demais secretários do governo tiveram encontro com representantes das Polícias Civil e Militar no município para avaliar a situação. A prefeitura de Angra pretende comprar 20 veículos para a Polícia Militar e ainda ofereceu uma área no Centro da cidade para a instalação de uma Companhia da PM. Fernando criticou a quantidade de policiais disponíveis para o patrulhamento desde Mangaratiba até Paraty. São cerca de 400 policiais apenas, que trabalham em turnos. Houve uma promessa do Governo do Estado de aumentar este efetivo em mais 44 homens.

Além dos 20 veículos, o prefeito também anunciou que pretende dobrar o número de policiais contratados pela própria prefeitura por meio do programa Proeis. Hoje já existem 20 policiais contratados e pagos pelo município. O número pode aumentar para 40. Estes policiais agem sob a orientação do município e estão ajudando a diminuir a criminalidade em vários bairros, inclusive na Ilha Grande.

A edição desta quinzena do jornal Tribuna Livre (foto) mostrou o drama das comunidades acuadas pela guerra entre traficantes e contra a polícia, especialmente em regiões como as Sapinhatubas, Monte Castelo e Parque Belém. Nos últimos 10 dias foram registradas ao menos 15 mortes na cidade, a ampla maioria causada no enfrentamento da polícia aos marginais. Só no Belém e no Camorim Grande, sete homens foram mortos em confrontos com policiais. Na madrugada desta sexta-feira, 9, não foram registrados tiros pela cidade, interrompendo a temporada de 13 dias com tiroteios. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) estão na cidade em operações previstas para os próximos dias. A vinda de um veículo blindado não está ainda totalmente descartada. Em entrevista a uma emissora de rádio, o prefeito Fernando Jordão fez um apelo para que os usuários de drogas abandonem o vício.

Segundo ele, estes consumidores são co-responsáveis pela insegurança e pelas disputas de territórios entre traficantes, já que o consumo ajuda a manter estas atividades ilegais.

Fotos: Prefeitura de Angra/Divulgação

Siga-nos no Facebook e acompanhe as notícias de Angra dos Reis e Paraty.

GOSTOU DESTE TEXTO?

Assine o jornal Tribuna Livre e receba em casa a nossa edição impressa. Clique aqui e saiba como.

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *